Sua opção de empoderamento para preservar fertilidade e postergar menopausa

Ovular

O que é um banco de ovário (BCTG)?

A oportunidade das mulheres (estocarem- guardarem-congelar) o seu próprio tecido ovariano para uso futuro!

O primeiro passo consiste em retirar um pequeno pedaço de tecido ovariano através de procedimento cirúrgico que após coletado será preparado por um especialista para ser criopreservado e utilizado no futuro se indicado ou desejado pela paciente.

RDC  ANVISA Nº23/2011

 RDC ANVISA Nº73/2016

Histórico

A clínica Ovular resulta de um sonho que se iniciou em 2000 quando Dr. Gustavo Safe, coordenador clínico da Ovular, teve oportunidade em se especializar em Ginecologia, Cirurgia avançada e Reprodução Humana na Bélgica pela UCL (Universidade Católica de Louvain) no serviço Professor Donnez, pioneiro no Mundo ao criar em 1997 o primeiro Banco de tecido ovariano. Professor Donnez foi ainda o responsável pelo primeiro nascimento no Mundo em 2004 de uma criança após transplante de tecido ovariano congelado ortotópico. Desde o seu retorno da Bélgica em final de 2002, Dr. Gustavo Safe acompanhou a evolução desta tecnologia em desenvolvimento mantendo o contato com toda a equipe de pesquisadores da UCL chefiado pela M. Dolmans e J. Donnez que puderam vir ao Brasil em várias ocasiões diferentes para apresentar e discutir esta nova tecnologia que desde o ano de 2019 não é mais considerado como experimental na Europa e nos USA.

 

Missão

Permitir que as mulheres possam programar melhor o momento reprodutivo (em situações oncológicas, casos de falência prematura do ovario na família ou simplesmente por questões pessoais) ou amenizar os sintomas decorrentes de uma menopausa precoce ou não. Esses fragmentos congelados poderão no futuro fornecer óvulos com objetivos reprodutivos e /ou produzir hormônios para postergar menopausa.

SAIBA +

sobre a OVULAR, seus serviços e informações sobre este revolucionário processo.   

A importância do Ovário

Candidatas a Preservação da Fertilidade

Por quanto tempo é o tratamento?

Congelamento de óvulos

Congelamento de embriões

Congelamento de tecido ovariano

Reprodução assistida e Invocell

Postegar a menopausa

O que é Criobiologia? 

a evolução da mulher

e a importância do ovário

  • Infância

     

    A infância e o período do desenvolvimento do ser humano, que vai do nascimento ao início da adolescência; meninice, puerícia. Ao nascimento as meninas apresentam 1200000 folículos primordiais que mesmo em repouso diminuirão a um número aproximado se 200000 no momento da menarca, data da primeira menstruação e início do menacne. Algumas mulheres tem risco de falência prematura (menopausa precoce) por problemas na ativação genética ou por destruição desta reserva folicular. Neste período o ovário pode sofrer danos decorrente de efeitos externos decorrente de tratamentos oncológicos que utilizam quimioterápicos e radioterápicos. Neste período da vida o mais comum são as malignidades hematológicas como leucemia e linfoma.

     

  • Menacne

     

    O período entre a primeira menstruação (menarca – 10 a 12 anos em media) e os 45 anos quando inicia-se o período do climatério. E considerado o período reprodutivo da mulher no qual ela vai apresentar um declínio na sua reserva folicular com queda acentuada apos os 37 anos. Neste período as intervenções no ovário (cirurgias decorrente de patologias benignas são o mais frequente) podem comprometer de forma importante a reserva ovariana desta pacientes. Dentre estas patologias precisamos destacar a endometriose, que danifica os folículos primórdias simplesmente pela sua existência, agravando o dano ao realizar cirurgias repetidas e sem o cuidado necessário. (meta-analises de 2012 mostram bem isto na diminuição da dosagem do hormônio anti-mulleriano (AMH).

  • Climatério

     

    O climatério é o nome científico que descreve a transição fisiológica do período reprodutivo para o não reprodutivo na mulher. O período do climatério abrange a menopausa, que ocorre com a última menstruação espontânea. Este período inicia-se aos 45 anos e vai até os 65 anos. Neste período a mulher começa a apresentar irregularidades menstruais decorrente de disfunções hormonais (funcionamento inadequado do ovário) que poderão acarretar sintomas de menopausa como fogachos, secura vaginal, desânimo ,diminuição libido, insônia... Após a menopausa (última menstruação) estes sintomas poderão se agravar ou não. A terapia de reposição hormonal deve ser individualizada, ou seja, cada paciente deve posicionar-se em relação:

    1- ao desejo pessoal de fazer a reposição hormonal.

    2- a existência de contraindicações a reposição hormonal.

    3- a adaptação e sucesso da reposição hormonal. Diante disto, sabemos que a reposição hormonal com hormônios bi idêntica (naturais e semelhantes aos hormônios produzidos pela mulher) deve ser priorizada sempre que possível. Quando pensarmos na possibilidade de postergar a menopausa com o reimplante de tecido ovariano autólogo congelado pela paciente em período precoce de sua vida, deveremos não só considerar a indicação daquele procedimento (oncológico ou não) assim como se a paciente se posiciona favorável a uma reposição hormonal a partir dos hormônios naturais vindo dos fragmentos congelados do seu próprio ovário (natural) e se o tempo de reposição (cinco, dez, quinze, vinte anos) estará concordante com os consensos existentes naquele momento. A terapia de reposição hormonal no Brasil deve levar em conta o posicionamento da paciente acima e a base científica existente em consensos de sociedades médicas como este da Febrasgo e Sobrac de 2014. 

ESPECIALISTAS

em preservação da fertilidade e reprodução humana.

Dr. Gustavo Safe

Médico

Dr. Jorge Safe

Médico

Dr. Francisco Colucci

Médico

Dra. Janaína Guedes

Embriologista

Lillian de Freitas

Embriologista

Symone Lopes

Psicóloga Clínica e Neuropsicóloga

Ana Paula 

Nutricionista

Dra. Lúcia Porto Fonseca

Laboratório Analys Patologia 

solicitar orçamento

envie-nos uma mensagem ou ligue para (31) 3273-0123 / 97181-6863